Emitir nota fiscal manual

Quer saber se ainda pode emitir nota fiscal manual? É melhor conhecer a NFe

Descubra porque emitir nota fiscal manual já não faz mais sentido para sua microempresa, e como dar os primeiros passos para integrar seu negócio na era das NFe

Até 2010, emitir nota fiscal manual era obrigatório para qualquer empresa. Desde então, muita coisa mudou: o sistema eletrônico entrou em vigor e aí aqueles velhos talões caíram em desuso. Mas será que eles ainda valem?

Se você vende algum tipo de produto e tem de pagar impostos como ICMS e IPI, a resposta é NÃO. Isso porque a emissão de nota fiscal eletrônica substituiu justamente os modelos 1 e 1A, que eram os indicados para essas operações.

Na prática, quem usa outro tipo de modelo de NF impressa ainda pode preencher o documento à mão (dependendo do estado). A dica, porém, é simples: se você puder deixar de emitir nota fiscal manual, faça isso já!

Porque você não deve emitir nota fiscal manual

Imagine ficar horas preenchendo cada detalhe de suas vendas. Acha que isso seria bom? Claro que não, certo?

Esse seria o cenário se sua empresa ainda emitisse notas fiscais em papel. Ou seja: ao invés de focar em vendas, os vendedores ficariam presos em talões e papeis, conferindo cada detalhe.

Além do tempo, outro problema seria garantir que as notas estariam sendo criadas sem nenhum erro. Pior ainda, se uma falha passasse, você demoraria até um mês para receber o retorno do contador.

Toda essa história, no entanto, é bem diferente com a nota fiscal eletrônica. Longe de gastar horas e canetas, sua equipe agiliza o fechamento das vendas e melhora a assertividade para preencher as informações de uma operação.

Ganhos da NFe

Já falamos, aqui no Blog do Saldo MAIS, que sua empresa e seus clientes têm muito a ganhar com a emissão de NF eletrônica. Em comparação com a nota fiscal manual, porém, essa lista é ainda maior.

  • Sua empresa diminui a quantidade de papel (diminui impressão);
  • Caso haja algum erro, é possível ajustar na hora ou de forma digital;
  • Na hora de arquivar os documentos, não é preciso ter um armário gigante, com pastas abarrotadas de comprovantes antigos;
  • Para os clientes, há a possibilidade de envio dos arquivos via e-mail, de forma rápida e móvel;
  • Toda a comunicação com contador, SEFAZ e cliente passa a ser automatizada.

E então, viu como é muito melhor começar sua empresa já com um emissor de nota fiscal eletrônica? Para comprovar, na prática, faça o seguinte: experimente o Saldo MAIS e descubra como simplificar seu trabalho! São 15 dias grátis!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *