Empréstimo, quando devo fazer?

Quem nunca pensou em pegar um empréstimo, não é mesmo? Seja para pagar uma dívida, um curso, realizar um sonho, os motivos são diversos. Mas qual o momento ideal para tomar esse crédito?

Acompanhe o blog de hoje e saiba quando tomar essa decisão:

Por questões de lucratividade, as taxas de juros do crédito pessoal ou pessoa jurídica, são variáveis, mas na maioria das vezes são bem altas. Por isso você deve analisar bem se o empréstimo é a melhor alternativa e se é o momento certo de fazê-lo dependendo do seu momento financeiro.

O empréstimo é ideal para expandir seu negócio, não para pagar dívidas. Por isso evite contratá-los para pagar despesas fixas como salários, água, energia, etc. Fazendo essa escolha, você só aumentará seu saldo devedor tornando as despesas uma grande bola de neve, já que no outro mês, além de você dever as despesas correntes do seu negócio, também estará devendo o empréstimo feito para saná-las anteriormente. Veja só que barco furado!

Por tanto, o aconselhável é que você opte por um crédito somente se for para fazer um investimento, pois dessa forma, você estará aumentando o capital de giro da sua atividade e também conseguirá, mesmo que aos poucos, pagar suas dívidas fixas.

Você também pode optar pelo empréstimo para dar início a outros projetos que lhe tragam algum retorno, como cursos, aquisição de materiais e maquinários ou até mesmo para imprevistos como doenças, acidentes ou motivos emergenciais.

Devo dividir as parcelas em quanto tempo?

Quanto menos tempo melhor. Sabemos que nem sempre é possível, principalmente dependendo do valor, mas o aconselhável é que as parcelas de um empréstimo durem cerca de 24 a 36 meses. Mais que esse tempo é complicado para o seu negócio, pois, estará comprometendo o seu planejamento futuro. Já que no longo prazo tudo é variável, políticas econômicas podem mudar, o mercado onde você atua pode sofrer alterações que venham diminuir suas vendas, comprometendo assim, sua capacidade de pagamento.

Pense bem, compare as taxas cobradas nas instituições financeiras que procurar. Nosso principal conselho é que busque alternativas de empréstimos por meio do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, ou instituições financeiras que forneçam créditos subsidiados pelo governo, com fomento no desenvolvimento da atividade econômica, já que as taxas praticadas por essas instituições são as mais baixas do mercado.

Gostou das dicas? Quer saber mais?

Fique atento ao nosso blog e redes sociais sempre com temas relevantes para você e seu negócio. Fature mais, fature com o Saldo Mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Ainda não vá embora!

Receba em seu e-mail nossos conteúdos, notícias e novidades.

Cadastre-se agora mesmo!