NFC-e: Fique de olho nas obrigatoriedades e mudanças em todo o País

Desde o dia 1º de janeiro deste novo ano, é obrigação de todos os contribuintes do setor do varejo que têm ponto de venda, do Distrito Federal e da maioria dos estados do país, emitir a Nota Fiscal do Consumidor (NFC-e).

A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica é um documento eletrônico que é emitido para o consumidor fina e vem para substituir a emissão de outros modelos do documento entregue ao consumidor, como a Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, modelo 2 e o Cupom Fiscal emitido por equipamento Emissor de Cupom Fiscal – ECF. Uma das principais vantagens dessa obrigatoriedade é que o documento pode ser emitido por impressoras comuns, dispensando a necessidade de equipamentos certificados e até mais caros.

Dentre os benefícios que o consumidor dispõe com estas mudanças, podemos citar: Cópia e consulta da nota fiscal por meio de QR-Code (código bidimensional que permite ao consumidor consultar de maneira instantânea informações completas sobre a compra realizada, por meio de qualquer dispositivo móvel); impressão da nota em qualquer tipo de máquina e recebimento do extrato da nota fiscal por e-mail, SMS ou Whatsapp (se solicitado).

Com essa alteração, o empresário passa a ter as seguintes vantagens:

Uso de Impressora não fiscal, térmica ou a laser, – o que facilita a criação ou extinção de pontos de venda dentro do estabelecimento de forma fácil e prática, uma vez que não há necessidade de autorização prévia do equipamento a ser utilizado;

Simplificação de obrigações acessórias (dispensa de impressão de Redução Z e Leitura X, Mapa Resumo, Revalidação, Comunicação de ocorrências, Cessação, etc.);

Relatórios que tinham que ser emitidos pelo empresário no final do dia após o fechamento do seu caixa e que deixaram de ser necessários, já que a NFC-e passou a ser transmitida em tempo real ou on-line para os órgãos estaduais e federais.

Outra vantagem muito importante é a liberdade que o uso das novas tecnologias proporciona ao contribuinte. Com o emissor Saldo Mais por exemplo, o empresário tem a mobilidade de emitir suas NFC-e’s de qualquer dispositivo móvel, a qualquer hora e lugar. Bastando apenas ter conexão com a internet. Dessa forma, além da mobilidade, também é possível ter acesso rápido e fácil para conferir os dados de uma nota fiscal além de também poder emiti-la.

Qual é a responsabilidade da Sefaz? E do empresário?

A única responsabilidade da Sefaz é fiscalizar. A emissão e o armazenamento das notas, assim como outros documentos fiscais pelo prazo de cinco anos, fica sob responsabilidade do empresário emissor. Ele deverá informatizar seu sistema e lidar com esse novo processo por conta própria, assim como já fazia, armazenando as notas e as emitindo em seu dia a dia.

Por isso utilize o Saldo Mais e comprove na prática a segurança no armazenamento de suas NFC-e’s, além da facilidade de emissão e consultas, por meio de qualquer dispositivo móvel. Faça o teste grátis por 7 dias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Comunicado IMPORTANTE!

O Saldo Mais, em nome da sua Diretoria, vem por meio deste informar a todos os clientes, amigos e parceiros, que suas atividades estarão sendo encerradas em 31 de janeiro de 2021, prazo este para que nossos clientes tenham tempo hábil para procurar outra solução para emissão de notas fiscais para seus negócios. Novos cadastros estão suspensos, estaremos prestando serviço somente para quem já é nosso cliente.

Informamos também que o plano mensal bem como sua renovação só estará disponível até o mês de Abril (30/04/2020).

Para maiores informações, clique aqui e saiba mais.