NFC-e: por que sua empresa deve ficar de olho nisso?

Pensada para simplificar processos, NFC-e permite acesso em tempo real aos valores repassados do vendedor para o Fisco

Você que trabalha com varejo já está atento à Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e)? Não? Então, é hora de resolver isso!

Afinal de contas, estamos falando de uma novidade que pode ajudar e muito sua operação. Quer saber como? A gente explica!

O que é a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica?

A NFC-e é um documento fiscal eletrônico emitido ao consumidor final após a compra de mercadorias.

Esta modalidade substitui a Nota Fiscal de Consumidor (NFC), do modelo 2, e o cupom fiscal, garantindo maior transparência das operações aos órgãos de fiscalização e ao consumidor.

A ideia é estabelecer um padrão nacional de documento fiscal eletrônico, com base na Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), mas com as adaptações práticas para atender o varejo.

Quem deve emitir a NFC eletrônica?

A nota eletrônica para consumidor ainda não está disponível em todo o país. A previsão é que o Brasil tenha sua versão de NFC-e completamente instalada apenas no início de 2019.

Atualmente, apenas estados contam com versões em teste. Em São Paulo, por exemplo, o contribuinte pode usar o Sistema de Autenticação e Transmissão de Cupom Fiscal Eletrônico (SAT-e), em que os documentos fiscais são gerados, autenticados e transmitidos à Sefaz paulista.

Já o Ceará possui um modelo semelhante, chamado de Módulo Fiscal Eletrônico (MFE). Nele, é possível emitir, transmitir, validar e armazenar as notas fiscais.

Mesmo nestes estados, porém, é importante dizer que a adesão à NFC-e ainda é opcional.

Como meu negócio é impactado pela NFC-e? 

Outra coisa que é importante lembrar é que a nota para consumidor traz vários benefícios aos empreendedores.

Uma das vantagens é a redução de gastos com papel e impressora fiscal já que o Equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF) não é obrigatório – o contribuinte pode imprimir suas notas fiscais em impressoras comuns!

Contribuintes que emitem NFC-e são beneficiados em:

  • Não é exigido homologação de hardware ou software para emissão da NFC-e;
  • Transmissão em tempo real ou online da NFC-e através de dispositivos mobile ou desktop;
  • Integração com programas de cidadania fiscal;
  • Integração com plataformas de vendas físicas e virtuais;
  • Possibilidade de expandir as unidades de operação sem precisar de autorização da Sefaz, basta apenas uma loja ter o sistema autorizado pelo órgão.

O que é preciso para emitir uma NFC-e?

O empreendedor deve estar com a Inscrição Estadual em dia para emitir uma NFC-e. São necessários o Certificado Digital de Pessoa Jurídica, credenciamento na Sefaz e o Código de Segurança do Contribuinte (CSC) entregue pelo órgão após o credenciamento.

É importante ainda que o negócio possua um software emissor de NFC-e, além de um computador, conexão com a internet e uma impressora não fiscal.

Mas lembre-se: por ainda ser recente, a NFC-e exige cuidado para evitar erros na hora de preencher os dados ou até mesmo ao gerar o arquivo XML.

A dica, portanto, é estar sempre em conversa com o contador para não ter dor de cabeça e encontrar um sistema de emissão que atenda as demandas da empresa e emitir os documentos fiscais de maneira segura e prática.

Viu como é importante sua empresa estar prepara para a NFC-e? Para saber mais sobre Notas Fiscais de Consumidor fique de olho no Saldo MAIS! Em breve, teremos novidades para você! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Comunicado IMPORTANTE!

O Saldo Mais, em nome da sua Diretoria, vem por meio deste informar a todos os clientes, amigos e parceiros, que suas atividades estarão sendo encerradas em 31 de janeiro de 2021, prazo este para que nossos clientes tenham tempo hábil para procurar outra solução para emissão de notas fiscais para seus negócios. Novos cadastros estão suspensos, estaremos prestando serviço somente para quem já é nosso cliente.

Informamos também que o plano mensal bem como sua renovação só estará disponível até o mês de Abril (30/04/2020).

Para maiores informações, clique aqui e saiba mais.