NFS-e saldomais

NFS-e: quais as vantagens para quem emite esta nota?

Entenda o que é preciso para emitir uma NFS-e e como isso pode beneficiar o seu negócio

Todo empreendedor que é prestador de serviços deve emitir uma Nota Fiscal de Serviço (NFS). Além de obrigatória, essa é a melhor forma de dar credibilidade a sua empresa, sabia?

Isso porque a NFS dá uma garantia do serviço prestado e comprova o recolhimento dos impostos. E o melhor: hoje está muito mais fácil e rápido de emiti-la por conta da tecnologia. Entenda!

O que muda da NF tradicional para a NFS?

Diferente da Nota Fiscal (NF), que é uma nota fiscal de produto emitida nas vendas de mercadorias, a NFS é emitida por empreendedores que prestam serviços para empresas – a maioria dessas notas, aliás, é gerada no município no qual o negócio possui sede.

É importante saber que, se o consumidor final for uma pessoa física, o empreendedor não é obrigado a apresentar uma nota fiscal de serviço.

Atualmente, algumas prefeituras já criaram sistemas eletrônicos para substituir a velha emissão em papel. A ideia é facilitar o processo, evitar erros de recolhimento dos impostos e diminuir gastos.

Mas o que é preciso para emitir uma NFS-e?

  1. Primeiro, é preciso entender que todo prestador de serviço – seja pessoa física ou microempreendedor individual – contribui para o Imposto sobre Serviços (ISS);
  2. O passo seguinte é saber se o município em que o seu negócio está cadastrado possui um sistema de emissão da NFS-e;
  3. Você poderá emitir a NFS-e através do portal da Secretaria da Fazenda do seu município, mas caso o recurso não esteja disponível, a dica é procurar um software de emissão habilitado capaz de atender as demandas reais do seu negócio, como o Saldo MAIS;
  4. Esses softwares já devem calcular e gerar, de forma automática, a guia de recolhimento do ISS. Mas vale lembrar que a alíquota varia entre 2% a 5% em cima do valor do serviço. Para quem é MEI, o imposto é de R$ 5, embutido no Documento de Arrecadação Simplificada (DAS);
  5. Além disso, é importante estar ciente se o seu negócio exige um Certificado Digital para a emissão da NFS-e. Para o MEI, por se enquadrar no regime tributário Simples Nacional, a obrigatoriedade do arquivo depende da legislação municipal ou estadual;
  6. Alguns programas, como o Saldo MAIS, oferecem o Certificado Digital.
  7. Com o certificado, você assina digitalmente a nota fiscal sempre quando for emiti-la, trazendo maior segurança e praticidade para o negócio.

É mais vantajoso emitir uma NFS-e do que uma NF?

Sim, é! Depois que começar a emitir NFS-e, o negócio terá redução de gastos com impressão e armazenamento. Sem falar na burocracia, já que todo o processo é eletrônico e é possível guardar os dados do tomador do serviço no sistema utilizado pelo empreendedor.

O armazenamento dos dados do cliente ainda traz outro benefício: a empresa não vai precisar quebrar a cabeça para calcular o ISS, já que todo o valor que será repassado para o imposto é feito de forma automática.

Sem contar que é possível enviar o XML das NFS-e por e-mail (além de ter um maior controle de gerenciamento das notas).

Gostou das vantagens da NFS-e? Para saber mais sobre Notas Fiscais Eletrônicas fique de olho no Saldo MAIS! Em breve teremos novidades para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *