Porque NÃO usar o emissor de NF-e gratuito

Veja por que, apesar de o emissor de NF-e gratuito ter sido mantido, sua empresa ganha mais e simplifica a gestão fiscal ao optar por soluções modernas

Quando a Secretaria da Fazenda de São Paulo criou seu emissor de NF-e o objetivo era simples: ajudar a consolidar o sistema de nota fiscais eletrônicas, inclusive para as micro e pequenas empresas. Mas será que, ainda hoje, esse sistema gratuito é eficaz para seu negócio? Se você está de olho no futuro, a resposta provavelmente é não.

Existem vários motivos para que você pense em novas possibilidades além do emissor de NF-e gratuito. As principais razões, estão atreladas a alguns pontos que sua empresa jamais deve perder de vista para crescer (e que você perderia com a ferramenta da SEFAZ): estamos falando de praticidade, segurança e desempenho, entre outras.

3 critérios para analisar na hora de escolher um emissor de NF-e

  1. Segurança: existem dois pontos de vista válidos em relação à segurança quando se trata de escolher um emissor de NF-e. Em primeiro lugar está a segurança dos seus dados, afinal de contas, o emissor de NF-e gratuito geralmente não conta com atualizações frequentes e isso pode criar brechas em sua proteção – o que implica em investimento em outras ferramentas, pelo menos, a médio e longo prazo.

O segundo motivo é a confiança no futuro da solução. Como ficou claro no fim do anopassado, as iniciativas públicas podem acabar a qualquer momento. E aí, você terá de correr atrás e adaptar todo seu sistema de emissão de NF-e rapidamente.

  1. Desempenho: com uma pequena ou microempresa para administrar, qualquer ganho de eficiência também pode significar mais segurança e tranquilidade, como também mais profissionalismo, agiliza e controle à sua gestão. No caso do controle de notas fiscais eletrônicas, encontrar sistemas mais ágeis e que ofereçam opções tecnológicas mais inovadoras é vital. Entre as oportunidades, dê preferência a pontos como:
  • Tecnologias que permitam a comunicação online entre sua empresa e a SEFAZ;
  • Ferramentas de armazenamento de dados mais estáveis e acessíveis;
  • Sistemas escaláveis e que acompanhem seu crescimento;
  • Funções que otimizem sua administração, facilitando sua visualização sobre faturamento e gastos.
  1. Praticidade: assim como o desempenho, a praticidade é um fator importante para você ganhar tempo e produtividade. Imagine ter que ficar digitando, imprimindo e encaminhando seus documentos a cada nota fiscal emitida? Essa, por exemplo, é a realidade para quem opta pelo emissor de NF-e gratuito. Nem pensar, não é?

Então, o melhor jeito de evitar isso é procurar por ferramentas que maximizem sua experiência de como emitir nota fiscal, reaproveitando dados gravados, criando perfis de uso e simplificando a visibilidade sobre os dados com painéis configuráveis.

Os emissores de nota fiscal eletrônica mais modernos podem ajudar nessas tarefas e ainda agregam fatores como economia de recursos e integração de dados. Talvez seja a hora de pensar nessa possibilidade, certo?

Para comprovar esses ganhos, temos um convite a fazer: experimente o Saldo MAIS grátis por 15 dias e descubra como um emissor moderno de NF-e pode melhorar sua gestão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *